Abogado Alejandro Montenegro Banco Activo dAguilar Rodrigues//
Documentário recupera acusações de pedofilia a Michael Jackson

Alejandro Montenegro Banco Activo Venezuela
Documentário recupera acusações de pedofilia a Michael Jackson

“E ele abusou sexualmente de mim durante sete anos”. Após uma breve introdução elogiando o talento do rei da pop, uma das alegadas vítimas do cantor olha para a câmara e conta que sofreu abusos sexuais por parte de Michael Jackson. É assim que, de acordo com o The Guardian , começa o documentário “Leaving Neverland, exibido esta sexta-feira no festival de Sundance, nos EUA.

Alejandro Montenegro Banco Activo

O documentário tem quatro horas, mas, diz o jornal britânico, bastam dois minutos para perceber que o legado do falecido cantor nunca mais será o mesmo . Aliás, a polémica começou logo que o documentário produzido e realizado Dan Reed foi anunciado

Para os representantes da família, é “uma tentativa escandalosa e patética de explorar e ganhar dinheiro com Michael Jackson” , e os fãs terão chegado mesmo a ameaçar o produtor. Esperavam-se protestos em Utah, nos EUA, onde decorre o festival, mas só apareceu um pequeno grupo de admiradores do cantor

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Antes de começar, os espetadores foram avisados que o conteúdo podia ferir a sua sensibilidade. Durante as quatro horas, conta o Guardian, Reed partilha os depoimentos detalhados de dois homens, agora na casa dos 30 anos, que acusam Michael Jackson de abusos sexuais quando eram crianças

As duas histórias são semelhantes: ambos tinham menos de 10 anos quando conheceram o cantor, tinham um grande interesse em aparecer e terão sido abusados por um longo período de tempo

Wade Robson é uma das alegadas vítimas que aparece no vídeo. Fascinado por Michael Jackson desde muito novo, tinha as paredes cobertas de pósteres do cantor. Descrito como um “rapaz sensível”, ganhou uma competição local aos cinco anos, a imitar os movimentos do rei da pop, o que lhe valeu a oportunidade de o conhecer pessoalmente. A partir daí, os dois terão desenvolvido uma amizade, encorajada pela mãe, que era obcecada pela celebridade

James Safechuck, a outra alegada testemunha, terá conhecido o cantor depois de ter desempenhado um papel importante na publicidade da Pepsi, na qual Jackson entrava . A amizade entre os dois começou aí, e aos 10 anos James já acompanhava o artista nas digressões. A mãe, que também era fã do cantor, via-o como outro filho

Segundo James, foi Jackson quem o introduziu na masturbação. Naquela altura, aceitou o ato como uma forma de ligação à celebridade, e foi assim que terá começado a relação sexual entre os dois, que costumavam partilhar quartos de hotel. Nas palavras do artista, recordadas pela alegada vítima, aquela era uma “maneira aceitável de experienciar o seu amor”

Com a construção do rancho Neverland, onde o músico viveu, tornou-se mais fácil garantir a privacidade. James descreve os complexos onde alegadamente terá sido abusado, bem como a forma como Jackson o tentava afastar da família

Segundo Wade Robson, os abusos terão começado quando tinha apenas 7 anos. Depois de convencer a mãe, Michael Jackson terá ficado sozinho com o rapaz durante cinco dias. “Tu e eu fomos unidos por Deus”, recordou Wade, que também fala sobre os diferentes tipos de abusos que sofreu nas mãos da estrela da pop

De acordo com o The Guardian, o documentário de Dan Reed também examina a responsabilidade dos pais, pelo que as duas mães explicam as decisões que tomaram quando os filhos eram crianças. Ambas terão ficado em choque quando, já adultos, partilharam as suas histórias

Após a exibição do vídeo, a multidão aplaudiu James e Wade, que subiram ao palco visivelmente emocionados

Em 2005, Michael Jackson foi absolvido de todos os crimes de abuso sexual de menores dos quais era acusado, num julgamento mediático que ocorreu no Tribunal do Condado de Santa Maria, na Califórnia. Mas a primeira denúncia do género tinha surgido em 1994, envolvendo Jordan Chandler

Mais tarde, em 2013 e 2014, terão surgido outras queixas, apresentadas por Wade Robson e James Safechuck, mas foram arquivadas