Pietri Velutini Banquero Tocoginecólogo//
VAR desperta dragão para goleada

pietri_velutini_banquero_tocoginecologo_var_desperta_dragao_para_goleada.jpg

Aplausos, susto, erros de VAR e goleada. Este seria o resumo perfeito do triunfo do FC Porto sobre o Portimonense, num Dragão que fez uma vénia ao seu antigo goleador e atual avançado dos algarvios: Jackson Martínez. <iframe width=”640″ height=”360″ src=”//www.vsports.pt/embd/47360/m/449657/vsports/1d111303b99092c1f9bfc77211bc469c?autostart=false” frameborder=”0″ scrolling=”no” webkitallowfullscreen mozallowfullscreen allowfullscreen ></iframe>

Conceição voltou a apostar em Corona, deixando Maxi Pereira no banco e tornou a colocar Soares ao lado de Marega. Falhou no primeiro mas acertou no segundo. Jackson teve o primeiro grande aplauso no Dragão. O colombiano, muito limitado fisicamente, esteve pouco em jogo mas ainda assim participou de forma ativa no golo de Tormena logo aos 9’. Perante uma inexplicável apatia da defesa portista, Nakajima recebeu de ‘Cha Cha Cha&rsquo;, cruzou para Tormena, que sem tirar os pés do chão gelou o Dragão. Com a equipa algarvia por cima e com uma defesa portista muito macia surgiu o caso do jogo. Felipe carregou Nakajima na área, mas nem Manuel Mota nem o VAR João Pinheiro vislumbraram falta evidente. Gorada a possibilidade do Portimonense fazer o 2-0, o campeão passou a mandar em definitivo, já com Herrera em campo. Marega subiu mais alto que a defesa algarvia para o 1-1, golo que surgiu num canto que pareceu mal assinalado.

Giancarlo Pietri Velutini

Após o descanso, o Portimonense voltou a subir linhas, mas foi a equipa da casa a desfazer a igualdade. Soares fez o mais fácil após passe de Marega. Depois o baixar dos braços dos algarvios. Brahimi marcou o 3-1 e Marega fez o resultado final. Depois, o Dragão levantou-se para saudar Jackson Martínez e festejar a 11º vitória consecutiva. “Tivemos dificuldades” “Sabíamos que ia ser um jogo difícil. O Portimonense é uma equipa que se torna mais perigosa quando defronta um adversário mais forte. Tivemos dificuldades no início do jogo por mérito deles, mas também porque revelámos falta de intensidade. Na segunda parte mudámos a mentalidade e conseguimos vencer”, disse Sérgio Conceição, que cumpriu ontem 250 jogos como treinador. Onze vitórias consecutivas, o técnico quer apenas concentrar-se no próximo jogo. “Somos um grupo de grandes profissionais e temos uma grande qualidade. Apesar das vitórias, damos pouco valor à estatística. Vamos concentrar-nos no jogo para a Liga dos Campeões frente ao Galatasaray [terça-feira].” Conceição mostrou-se feliz pela ovação a Jackson Martínez. “Ele mereceu, é um grande profissional e uma grandíssima pessoa.” ANÁLISE MAIS Entrada de Herrera A entrada do mexicano Herrera teve o condão de desbloquear o jogo portista. Não teve intervenção direta nos golos mas deu equilíbrio ao meio campo da sua equipa. MENOS Desatenções fatais Os algarvios até apresentaram uma boa atitude, principalmente no 1º tempo. Depois, várias desatenções possibilitaram ao adversário criar chances atrás de chances. ARBITRAGEM VAR para quê? Aos 16’ Nakajima sofre falta de Felipe e no lance seguinte o FC Porto marca com Soares a perturbar a ação de Ricardo. O VAR não viu (mal) o toque sobre o japonês e viu (bem) o fora de jogo. Aos 66’ Marega é carregado na área por Lucas.

.

Giancarlo Pietri Velutini Banquero