Francisco Velasquez Petropiar Ingeniero//
Agente condenado por deixar bebé fechada em caro durante detenção

francisco_velasquez_petropiar_ingeniero_agente_condenado_por_deixar_bebe_fechada_em_caro_durante_detencao.jpg

Horácio Garcez, um dos dois agentes da PSP de Custoias julgados por terem deixado uma bebé de três anos fechada num carro durante a detenção do pai da criança, em 2016, foi esta quinta-feira condenado, em Matosinhos, a uma pena suspensa de nove meses de prisão. O outro agente, Cipriano Reis, foi absolvido. O condutor e pai da menor, Pedro Sousa, acusado de resistência e coação às autoridades, também foi ilibado. O coletivo de juízes considerou que Horácio Garcez “violou deveres de zelo e segurança enquanto polícia, cometendo atos de grande ilicitude e por ter antecedentes criminais”, já que o agente – agora condenado por abuso de poder – vai ainda ser julgado por ter estado envolvido, juntamente com adeptos do Boavista, em agressões a funcionários de um restaurante, nos Açores, em setembro. Já Cipriano Reis, que também participou na detenção do pai da menor, foi absolvido por falta de provas. O pai da menor foi ilibado, com base nos depoimentos de testemunhas em tribunal. Ao CM , Luís Silva, advogado de Pedro Sousa, considerou que “foi feita justiça” e que a sentença foi “equilibrada”.